Empresarial Notícias

Controladoria e Tecnologia da informação, aliados?

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

Segurança na internet

(Shutterstock)

A interação entre as áreas de uma empresa requer a existência de uma forma organizada para o consumo de um dos principais recursos que esse processo de integração demanda: a informação que, contudo pode não satisfazer às expectativas de seus usuários se não estiver acompanhada de atributos que a tornem, realmente, útil ao processo decisório, isto é, se não for acurada, tempestiva e adequadamente comunicada àqueles que dela necessitam para o exercício de suas atividades.

Leia também:

Nesse aspecto, a informação e sua comunicação adquirem contornos estratégicos, dado o seu poder de interferir na qualidade das decisões tomadas. Elas podem ser um dos fatores que explicam o grau de congruência entre as ações implementadas pelos gestores e as expectativas da administração da empresa, tornando-se a moldura de todo o processo de gestão. Esse raciocínio é perceptível na ênfase dada por Moscove, Simkin e Bagranoff, os quais entendem que o sucesso ou fracasso da empresa está ligado à forma como a informação é gerenciada e utilizada.

A informação como um recurso relevante para o processo decisório e, em conseqüência, para a continuidade da empresa, adquire atenção especial no que se refere a sua acurácia e tempestividade, sendo este o ‘mote’ para o surgimento de áreas na empresa especificamente focadas em seu tratamento e sua disponibilização, como a de tecnologia da informação (TI), voltada para sua manutenção, integração e geração, e a de controladoria, incumbida de seu tratamento, formatação e divulgação.

A área de controladoria trabalha em conjunto com a de tecnologia da informação no planejamento e modelagem dos bancos de dados e dos sistemas de informações da organização, participando do processo de seleção de ferramentas tecnológicas, de acordo com a função estratégica de cada uma.

Em estudo aprofundado acerca do assunto, investiguei a contribuição das ferramentas provindas da tecnologia da informação, especificamente as de Business Intelligence (BI), para a área de controladoria exercer sua função de suprir o processo decisório com as informações úteis por ele requeridas. O estudo foi conduzido através de pesquisa de campo,  especialmente de um estudo de caso em uma grande empresa (multinacional) do segmento de eletrônica e sistemas de energia, onde o assunto pôde ser analisado em detalhes, por meio de entrevistas orientadas com gestores e assistentes, observação dos cenários antes e depois da implementação das ferramentas de BI. Após a análise das entrevistas, dos indicadores das áreas e de seu impacto no resultado global da empresa, o estudo concluiu que as referidas ferramentas podem auxiliar a controladoria na função de prover informações confiáveis, úteis e tempestivas ao processo decisório, por meio de sua flexibilização e dinamicidade, proporcionando, como conseqüência, a melhoria dos resultados das áreas e da empresa como um todo.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

Infomoney